Resultados da busca pela tag "suculenta":
04 JUN 2014

3 dicas para melhorar as fotos de plantas

1. Aprendi com amigos fotógrafos um truque muito bom para fazer imagens amadoras parecerem sérias: clicar de perto coisas que você está acostumado a ver de longe e fotografar de muito perto aquilo que sempre está ao alcance dos olhos. Uso a dica em fotos prosaicas de plantas que encontro nas minhas andanças. Faça o teste numa bromélia, por exemplo: dá para ver o cálice tão de perto que até parece outra planta.

2. Acorde cedo. A luz do sol da manhã deixa as fotos com as cores mais vibrantes e sem aquele amarelo carregado do sol da tarde. Essa dica é especialmente importante para quem pretende fotografar ambientes externos – perto do meio-dia, as sombras ficam duras e criam grandes áreas negras nas imagens. Vale lembrar também que dias nublados costumam render fotos de flores bem mais interessantes do que os dias de sol forte logo cedo.

3. Flores caídas são um daqueles temas que todo fotógrafo amador acha o máximo, mas que os profissionais costumam considerar de uma cafonice sem tamanho. Enquanto você ainda está praticando, não tenha vergonha de ser cafona, repetitivo, sem criatividade. Com um pouco de treino, você mesmo vai buscar novas formas de enxergar o mesmo jardim.
23 JAN 2013
categoria: Dicas práticas
tags: suculenta

Suculentas: manual de instruções

Se os camelos fossem vegetais, seriam da família das suculentas. Essas plantas conseguem viver bem, obrigado, mesmo nos desertos e ambientes muito secos e quentes. Para realizar essa façanha, as suculentas usam o mesmo recurso dos camelos e dromedários: armazenam água em grande quantidade.

É graças às folhas gordas e cheias de líquido que elas agüentam passar o dia todo sob sol a pino e ainda ficar tão lindas quanto uma orquídea saída de uma estufa.

Mas esse não é o único truque dessas plantas típicas da África e que têm mais de 12.000 espécies pelo mundo. Irmãs dos cactus, elas costumam ter espinhos ou uma penugem nas folhas, que retém o máximo de umidade possível. As que têm folhas “peladas” usam outro recurso para ter o mesmo efeito: são cobertas por uma cera grossa, que lhes dá um aspecto lustroso e evita a evaporação da água. Plantinhas espertas, né?

Um lugar ao sol
Como são originárias de regiões muito quentes, a maioria das suculentas gosta de sol pleno e pouca água. Se estiverem plantadas em vaso, regue duas vezes por semana ou sempre que sentir que a terra está seca. Nunca deixe água no prato: elas não gostam de ficar com os “pés” molhados. Já as suculentas plantadas diretamente no chão requerem mais regas porque a evaporação é mais rápida.

As esquecidas
Algumas espécies, como as populares flor-de-maio e onze-horas, ficam lindas em vasos presos no teto. Mas lembre-se de regá-lo: como essas plantas estão no alto, é comum acabarem esquecidas e morrerem à míngua. Sem água nem cuidados, nem mesmo uma planta-camelo consegue sobreviver.

Novinha em folha
Esqueça todas aquelas complicações de estacas e sementes: suculentas são tão fáceis de propagar que costumam fazer isso tão rápido quanto coelhos. Quando uma folha cai no chão, rapidamente cria raízes e, tchanam!, surge outra muda. Assim mesmo, como mágica. Se quiser você mesma brincar de jardineira, tire algumas folhinhas da sua suculenta, deixe secar por um ou dois dias (para que o machucado cicatrize e seque, em vez de umedecer e pegar fungos) e só depois coloque a pontinha quebrada na terra. Continue regando normalmente. Logo surgirão raízes e folhas novas.

Uma grande família
Você pode reunir em um único vaso mais de uma espécie, já que a maioria das suculentas têm os mesmos gostos por água, calor e ventilação. O vaso não precisa ser muito profundo também, uma vez que as raízes delas não são compridas (com exceção para alguns cactos de grande porte). Agrupe as plantas de forma que as suculentas maiores não façam sombra nas menores. Se for preciso, vire o vaso de tempos em tempos para proporcionar um crescimento por igual.

Flor de pedra
Chama-se Echeverias o gênero ao qual pertencem as suculentas cujas folhas fazem uma grande flor, semelhante à uma mandala. De coloração cinza esverdeada ou azulada, essa espécie é conhecida também como rosa-de-pedra e se dá muito bem em vasos. Quando for molhá-las, evite derramar água nas folhas. Como bem diz o ditado, água mole em pedra dura tanto bate...

Categorias